segunda-feira, 22 de março de 2010

As Dificuldades De Tradução

Fazer uma tradução de um idioma para outro é muito complexo. Existem trechos que a tradução literal não faz sentido na outra língua. Algumas palavras são peculiares, próprio daquele idioma. E as expressões populares, nem sempre se consegue traduzir.

Às vezes o tradutor precisa desviar da tradução literal para se aproximar no sentido real da frase. A interpretação do tradutor torna-se crucial, ao mesmo tempo em que ajuda a transmitir o sentido da mensagem original, poderá distorcer.
Tudo isso no caso das traduções de línguas atuais. As línguas antigas têm mais dificuldades.

Considere as dificuldades de tradução ao avaliar os trabalhos dos tradutores.
Veja esse artigo dos profissionais de tradução: O que é uma tradução perfeita?


A Tradução Da Bíblia
No caso do texto bíblico, os tradutores têm uma responsabilidade maior.
Estamos traduzindo a Palavra do Senhor, para o Senhor.
Fazer chegar a Palavra de Deus para as pessoas que não falam a língua.

A fidelidade do texto traduzido é essencial.
Veja o que acontece se mudar uma vírgula de posição.

Lucas 23:43
...σοι λέγω, σήμερον μετ’ ἐμοῦ ἔσῃ ἐν τῷ παραδείσῳ.
“te digo, hoje estarás comigo no paraíso.”
“te digo hoje, estarás comigo no paraíso.”

No Koinê não utilizava as pontuações como foi dito na outra postagem (A Palavra De Deus É A Verdade).
Na língua portuguesa temos e utilizamos as pontuações.
E dependendo do lugar da vírgula, a frase muda de sentido, como foi demonstrada acima.

Portanto, isso tudo significa que:
1. Deve colocar as pontuações quando for traduzido no português.
2. Não se pode colocar a vírgula onde bem entender. Pois pode distorcer a verdade.
3. Temos que estar aberto às todas as possibilidades, pois mesmo no texto em grego a vírgula poderá estar no lugar errado, geralmente no lugar certo. Bom conferir.
4. Devemos analisar todo contexto, e colocar a vírgula no local correto (no ponto mais apropriado), quando for traduzir.
5. Lembrar sempre que o nosso objetivo de traduzir é para facilitar a compreensão do texto original, para entender a verdadeira mensagem. Não se limite nas traduções.

Portanto, no caso de traduzir a Bíblia, por ser a Palavra do Senhor, precisamos ter cautela. Devemos tomar cuidado até no acréscimo de uma vírgula. Quanto mais no acréscimo de uma palavra.

Quando os tradutores acharem necessário fazer qualquer modificação, é importante a utilização de parênteses, parênteses rectos, aspas, notas no rodapé, etc. Assim fica claro para os leitores que está sendo modificado por alguma determinada razão. E se estiver errado a interpretação do tradutor, fica mais fácil a correção posterior.

Ainda que o sentido da frase seja o mesmo, não se deve sair alterando a ordem das palavras. Perde a referência. Aumenta-se o risco de distorcer o sentido. E manter a referência facilita o estudo futuro. Mas isto é apenas uma recomendação, fundamental é a transmissão do sentido da mensagem. Por exemplo, no japonês a ordem das palavras numa frase é sujeito-objeto-verbo. A afirmativa ou negativa também está em ordem diferente da linguagem ocidental. Logicamente a bíblia traduzida do grego para o japonês terá mais necessidade de mexer na ordem das palavras do que grego para português.

Deve evitar utilização de sinônimos procure utilizar uma palavra correspondente que melhor se encaixa para aquela palavra em grego. Não utilize a mesma palavra correspondente para duas palavras gregas. Para facilitar a identificação.
Exemplo: Se traduzir a palavra “ἀλλά” como “mas”, procure traduzir da mesma forma em todas as ocorrências. E evite traduzir para “mas”, outras palavras como “δὲ”.
Os estudantes costumam usufruir de recursos como a chave bíblica para pesquisar as ocorrências, sendo assim, se duas palavras gregas for traduzida para mesma palavra em português pode causar confusão. Devemos evitar confusão.
(Exemplo: Poderá utilizar “mas” para “ἀλλά”, “porém” pra “δὲ”, se realmente forem sinônimos.)

Caso aconteça de sair dessas recomendações, utilize as anotações, aspas, etc, para mostrar e explicar o motivo da alteração.

Da mesma forma existe também a responsabilidade do leitor. Podemos reparar que existem várias versões de tradução do mesmo trecho.
É bom comparar e perceber as diferenças.
É melhor comparar e perceber as diferenças boas.
E é ainda melhor reter somente o que for bom.

O importante é os leitores julgarem tudo o que está escrito e reter somente o que for bom.

Lembrando que mesmo no texto em grego, já tem os acréscimos de pontuações, acentos, o iota subscrito, até mesmo, letras e palavras acrescentadas e modificadas.
Quando tento ler um texto do codex, eu agradeço por todos os trabalhos anteriores das pessoas que destrincharam, até chegar nessas versões traduzidas que temos em mãos. As traduções ajudam na compreensão da mensagem para os que não falam a língua. Ao mesmo tempo em que sou grato, vejo a importância de conferir. Pois pode conter erros.

Como devemos julgar o trabalho de um tradutor?
Devemos ficar criticando os mais de 1000 erros que tinham tradução do João Ferreira de Almeida? Ou agradecer por todo trabalho bom que ele fez?
É importante saber que existem erros nas traduções, não para condená-los, para corrigi-los.

Se existe uma forma da tradução da bíblia ser perfeita é quando ela for iluminada pelo Espírito Santo. Podemos entender os tradutores quando não conseguem traduzir um trecho corretamente é por falta de compreensão, naquele determinado momento.
Demos graças a Deus por toda a nossa compreensão.
O texto da bíblia que nós lemos hoje, que nos ajudam a ter essa compreensão é resultante de inúmeros trabalhos de tradução anteriores a esta, as quais contêm muitos erros.

Ainda existem erros nas bíblias, em todas as versões. Tendo consciência existência dos erros nas traduções devemos ir corrigindo o que estiver errado. Reter somente o que for bom. (Veja também: A Palavra De Deus É A Verdade)





Nenhum comentário:

Postar um comentário